A atuação da rede transnacional de direitos humanos no México durante os governos Salinas e Zedillo

Resumo

Durante décadas, prevaleceu no México uma política externa nacionalista, defensiva e legalista, calcada na defesa de princípios do direito internacional como não-intervenção e autodeterminação, correspondendo às necessidades de crescimento de uma economia mista e fechada, e aos requerimentos de legitimidade e estabilidade de um regime político autoritário, presidencialista, de partido dominante e pluralismo limitado (Graves, 1985, Huck Jr., 1997, González, 2005, Chabat, 2006). Com isso, buscava-se não apenas sustentar as demandas protecionistas do modelo de industrialização por substituição de importações, como também isolar a vida política interna de influências externas.
PDF
PDF

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:

  • Autores mantêm os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.
  • Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.