A atuação internacional dos governos subnacionais: construções conceituais, limites e contribuições para o caso brasileiro

  • Débora Figueiredo Mendonça Prado Universidade Federal de Uberlândia Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Estudos sobre os Estados Unidos (INCT-INEU) http://orcid.org/0000-0002-0077-9574

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar o debate conceitual sobre a atuação internacional dos governos subnacionais, tendo em vista as dificuldades e limitações dos conceitos de paradiplomacia e protodiplomacia. Parte-se da hipótese de que esses conceitos são insuficientes para a compreensão de determinadas ações dos governos subnacionais que geram tensões com governos centrais. Para isso, a pesquisa se apoia em bibliografia clássica do tema, identificando o histórico desse campo de estudo na ciência política e nas relações internacionais, com destaque para as tipologias propostas pela literatura nas últimas décadas. A partir de tal base, conclui-se que a marginalização desses processos gera uma compreensão limitada da atuação dos atores subnacionais, bem como de seus impactos na política internacional. Tal revisão se faz necessária para auxiliar na identificação de lacunas conceituais e na delimitação de uma agenda de pesquisa para esse campo de estudo no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Débora Figueiredo Mendonça Prado, Universidade Federal de Uberlândia Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Estudos sobre os Estados Unidos (INCT-INEU)
Doutora em Ciência Política pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). É professora no curso de graduação e de pós-graduação em Relações Internacionais na Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e pesquisadora do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Estudos sobre os Estados Unidos (INCT-INEU).

Referências

ABDALA, Fábio de Andrade. Governança global sobre florestas: o caso do Programa Piloto para Proteção das Florestas Tropicais do Brasil (PPG7) - 1992-2006. 2007. 250 f. Tese (Doutorado em Relações Internacionais) – Universidade de Brasília, Brasília, 2007.

AGUIRRE Iñaki. Making Sense of Paradiplomacy: An intertextual enquiry about a concept in search of a definition. Regional and Federal Studies, v. 9, n. 1, 1999, p.185-209. Disponível em: <https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/13597569908421078>. Acesso em 03 de março de 2018

ALDECOA, Francisco; KEATING, Michael (org). Paradiplomacy in action: the foreign relations of subnational governments. Portland, Frank Cass Publications, 1999.

ALMEIDA, Felipe Cordeiro de. Os governos locais brasileiros e o Mercosul: a influência da paradiplomacia na agenda de integração regional. 2012. 162 f. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais) – Universidade de Brasília, Brasília.

ALMEIDA, Jordenia Adelaide de. Atores Subnacionais e suas agendas nas Relações Internacionais: A captação de recurso externo através do Projeto Capibaribe Melhor e a gestão internacional da cidade do Recife. 2013. 196 f. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais) – Universidade Estadual da Paraíba, João Pessoa.

ALVES, Barbara Beatriz Maia Pinto. Avaliação comparativa da cooperação internacional descentralizada e centralizada: o projeto de polícia comunitária - sistema KOBAN no município de São Paulo. 2013. 93 f. Mestrado (Mestrado em Relações Internacionais)- Instituto de Relações Internacionais, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

AMES, Barry. Os entraves da democracia no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2003.

ANDRADE, Marina Morais de. Liberalização econômica e internacionalização de cidades: O caso de São Paulo (1989-2009). 2015.158 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas e Sociais) – Universidade Federal do ABC, Santo André.

APRIGIO, André Edson Ribeiro de Souza. A paradiplomacia e a atuação internacional de governos sub nacionais. 2015. 150 f. Mestrado (Mestrado em Relações Internacionais)- Departamento de Relações Internacionais e Administração Pública, Universidade do Minho, Braga, 2015.

ARAÚJO, Izabela Viana de. A Influência Partidária no nível municipal: paradiplomacia na cidade de São Paulo. 2012. 100 f. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais) – Universidade de São Paulo, São Paulo.

BANDEIRA, Luiz Alberto de V. Moniz. Brizola e o trabalhismo. Rio de Janeiro: Ed. Civilização Brasileira, 1979.

BARRETO, Maria Inês. Gestão estratégica do poder executivo do estado de São Paulo frente ao processo de integração regional do Mercosul. 2001. 161f. Tese (Doutorado em Administração) – Fundação Getúlio Vargas, São Paulo.

BATISTA, Sinoel. A paradiplomacia e seus atores nas políticas públicas locais na América Latina. Experiências de São Paulo e Montevidéu. 2010. 161 f. Dissertação (Mestrado em Integração da América Latina) - Universidade de São Paulo, São Paulo.

BEMFICA, Flávia Cristina Maggi. Governo Leonel Brizola no Rio Grande do Sul: desconstruindo mitos. Dissertação (Mestrado em História). 2007. 140f. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

BESEN, Daphne Costa. A estratégia municipal de internacionalização da cidade do Rio de Janeiro de 2009 a 2016: Rio, uma cidade global?. 2016. 106 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

BLATTER, J., M. Kreutzer, M. Rentl, and J. Thiele. The Foreign Relations of the European Regions: Competences and Strategies. West European Politics, v.31, n.3, 2008, p.464-490. Disponível em: <https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/01402380801939743>. Acesso em 05 Mar.2018.

BOGÉA, Antenor. A diplomacia federativa: do papel internacional e das atividades externas das unidades federativas nos Estados Nacionais. Tese (Trabalho final em Diplomacia, XLII Curso de Altos Estudos) - Instituto Rio Branco, Brasília, 2001.

BRIGAGÃO, Clóvis. Relações internacionais federativas no Brasil: estados e municípios. Rio de Janeiro: Editora Gramma, 2005.

BURSENS, P.; DEFORCHE, J. Europeanization of subnational polities: the impact of domestic factors on regional adaptation to European integration. Regional & Federal Studies, v.18, n.1, 2008, p.: 1–18. Disponível em <http://steunpuntbov.be/rapport/s2A0906004_deforche_2008_paradiplomacy.pdf>. Acesso 1 set. 2018.

CALIFORNIA. Senate Bill n. 54, de 10 de maio de 2017. SB-54 Law enforcement: sharing data.. An act to amend Sections 7282 and 7282.5 of, and to add Chapter 17.25 (commencing with Section 7284) to Division 7 of Title 1 of, the Government Code, and to repeal Section 11369 of the Health and Safety Code, relating to law enforcement. California Legislative, p. 1-11, maio. 2017.

CNN. California results. CNN Politics, California, 09 nov. 2016. Disponível em: <https://edition.cnn.com/election/2016/results/states/california>. Acesso em: 20 dez. 2018.

CORNAGO, Noé. On the Normalization of Sub-State Diplomacy. The Hague Journal of Diplomacy, v. 5, n.1-2, 2010, p.11-36. Disponível em <https://brill.com/abstract/journals/hjd/5/1-2/hjd.5.issue-1-2.xml>. Acesso em: 11 set. 2017.

DENNING, Brannon; MCCALL, Jack H. States' rights and foreign policy: some things should be left to Washington. Foreign Affairs, v. 79, n.1, 2000, p. 9-14. Disponível em: <https://www.foreignaffairs.com/articles/united-states/2000-01-01/states-rights-and-foreign-policy-some-things-should-be-left>. Acesso: 20 jul 2018.

DICKSON, Francesca. The internationalisation of regions: paradiplomacy or multi-level governance? Geography Compass, v. 8, n. 10, 2014, p.689-700.

DUCHACEK, Ivo. Perforated Sovereignties: Towards a typology of new actors in international relations. In: MICHELMANN, Hans J.; SOLDATOS, Panayotis (org). Federalism and International Relations: the role of subnation units. New York: Oxford University Press, 1990, p.1-34.

__________. The International Dimension of Subnational Self-Government. Publius, v.14, n. 4, 1984, p. 5-31. Disponível em: <https://www.jstor.org/stable/3330188?seq=1#page_scan_tab_contents>. Acesso: 03 Mar.2018.

__________. The Territorial Dimension of Politics Within, Among and Across Nations. Boulder: Westview Press, 1986.

_________. Multicommunal and Bicommunal Polities and Their International Relations. In: DUCHACEK, Ivo; LATOUCHE, D.; STEVENSON, G. (eds) Perforated Sovereignties and International Relations: Trans-Sovereign Contacts of Subnational Goverments. Westport: Greenwood Press, 1988, Capítulo 1, p.1-33.

EATMON Thomas D. Paradiplomacy and Climate Change: American States as Actors in Global Climate Change. Journal of Natural Resources Policy Research, v. 1, n. 2, 2009, p.153-165. Disponível em: <https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/19390450902789275?journalCode=rjnr20>. Acesso: 11 nov. 2017.

FARIAS, Déborah Barros Leal. Federalismo e Relações Internacionais. 2000. 108f. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais) – Universidade de Brasília, Brasília.

FARIAS, Valeria Cristina. Regime Internacional de Mudanças Climáticas: ações climáticas e paradiplomacia ambiental do Estado de São Paulo. 2015. 230 f. Tese (Doutorado em Direito) - Universidade Católica de Santos, São Paulo.

FERREIRA, Bruno Guedes. Atores públicos subnacionais e política externa brasileira: A paradiplomacia no Rio Grande do Sul (2007-2014). 2015. 164 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

FRY, Earl H. The expanding role of state and local government in US Foreign affairs. New York: Council on Foreign Relation Press, 1998.

__________. Federalism and US Foreign Relations: Understanding State Actions, In: BLINDENBACHER, Raoul; PASMA, Chandra (Eds). A global dialogue on federalism. Dialogues on Foreign Relations in Federal Countries. Forum of Federations, International Association of centers for federal studies, 2007, pp.42-45.

GATTO, Luis Henrique Soares. Mato Grosso e suas ações no cenário internacional (1995-2010). 2012. 239f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

GOMES FILHO, Francisco. A paradiplomacia subnacional no Brasil: uma análise da política de atuação internacional dos governos estaduais fronteiriços da Amazônia. 2011. 276f. Tese (Doutorado em Relações Internacionais e Desenvolvimento Regional) – Universidade de Brasília, Brasília.

GOMES FILHO, Francisco; VAZ, Alcides Costa. A paradiplomacia no contexto da Amazônia brasileira: estratégias de desenvolvimento regional do estado de Roraima. Ciência & Desenvolvimento, v. 4, n. 7, p. 155-165, jul./dez. 2008.

GUAY, Terrence. Local Government and Global Politics: the implications of Massachusetts' Burma Law. Political Science Quarterly, v. 115, n. 3, 2000, p.353-376. Disponível em: <https://www.jstor.org/stable/2658123?seq=1#page_scan_tab_contents>. Acesso: 14 jun. 2018.

HENRIQUES FILHO, Luiz Sérgio Moreira. A inserção internacional subnacional: perspectivas e a necessidade de regulamentação do caso brasileiro. 2016. 143f. Dissertação (Mestrado em Sociologia Política) – Universidade de Vila Velha, Vila Velha.

HOCKING, Brian. Localizing foreign policy: non central governments and multilayered diplomacy. Londres: Macmillan/St. Martins Press, 1993.

HOLLEY, Andrea Ralston. Subnational partnerships for sustainable development: transatlantic cooperation between the United States and Germany. Northampton: Edward Elgar, Cheltenham, 2013.

JUNQUEIRA, Cairo Gabriel Borges. A inserção internacional dos atores subnacionais e os processos de integração regional: uma análise da União Europeia e do Mercosul. 2014. 269 f. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais) – Universidade de Brasília, BRASÍLIA.

KAISER, Robert. Sub-state governments in international arenas: paradiplomacy and multi-level governance in Europe and North America. In: JAMES, Patrick; MICHAUD, Nelson; O'REILLY, Marc J. (eds). Handbook of Canadian Foreign Policy. London: Lexington Books, 2005.

KEATING, Michael. The new regionalism in western Europe: territorial restructuring and political change. Aldershit: Edward Elgar Publishing, 1998.

_________. Regiones y assuntos internacionales: motivos, oportunidades y estratégias. In: VIGEVANI, Tullo; WANDERLEY, Luiz Eduardo; BARRETO, Maria Inês; MARIANO, Marcelo Passini (orgs). A dimensão subnacional e as Relações internacionais. São Paulo: Editora Unes, 2004, p. 49-78.

KINCAID, John. Constituent diplomacy in federal politics and the Nation-state: conflict and cooperation. In: MICHELMANN, Hans J; SOLDATOS, Panayotis. Federalism and international relations: the role of Subnational Units. Nova York, Oxford University Press, 1990.

___________. (1999). The international competence of U.S. states and their local governments. In: ALDECOA, Francisco; KEATING, Michael (eds). Paradiplomacy in action: the foreign relations of subnational governments. Frank Class: London, 1999, p.111-133.

____________. The American Governors in international affairs. Publius, v. 14, n.4 p.95-114, 1984. Disponível em: <https://www.jstor.org/stable/3330192?seq=1#page_scan_tab_contents>. Acesso: 03 fev. 2018.

KÖLLING, M.; STAVRIDIS, S.; SOLA, Fernandez N. (eds). Las relaciones internacionales de las regiones: actores sub-nacionales, para-diplomacia y gobernanza multinivel. Zaragoza: Universidad de Zaragoza, 2007.

KUZNETSOV, Alexander S. Theory and Practice of paradiplomacy: subnational government in international affairs. New York: Routledge, 2015.

LACHAPELLE, Guy; PAQUIN, Stéphane. Mastering Globalization: New sub-state's governance and strategies. London: Routledge, 2005.

LECOURS A. Paradiplomacy: Reflections on the Foreign Policy and International Relations of Regions. International negotiations, v.7, n.1, p. 91-114, 2002. Disponível em: <https://brill.com/abstract/journals/iner/7/1/article-p91_8.xml?crawler=true>. Acesso: 15 fev. 2018.

LESSA, José Vicente da Silva. A paradiplomacia e os aspectos legais dos compromissos internacionais celebrados por governos não-centrais. 2002.Tese (Trabalho final em Diplomacia, XLIV Curso de Altos Estudos) – Instituto Rio Branco, Brasília.

LUZIA, Vitor Rinaldi de. Os municípios brasileiros no processo de integração do Mercosul. 2016. 148 f. Dissertação (Mestrado em Direito) – Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.

MAGONE, José M. Para-diplomacy revisited: the structure of opportunities of global governance and regional actors. In: International Conference on the International Relations of the Regions: Sub-National Actors, Para-Diplomacy and Multi-level Governance, 2006, Zaragoza. Disponível em: <http://paradiplomacia.org/upload/downloads/66fc7ecc666b857d415ee890307ab79cjosemagonefinal.pdf>. Acesso: 03 mar.2018.

MAIA, José Nelson Bessa. Paradiplomacia financeira dos estados brasileiros: evolução, fatores determinantes, impactos e perspectivas. 2012. 599 f. Tese (Doutorado em Relações Internacionais) – Universidade de Brasília, Brasília.

MARCOVITCH, Jacques; DALLARI, Pedro B.A. (orgs). Relações Internacionais de âmbito subnacional: A experiência de estados e municípios no Brasil. São Paulo: Instituto de Relações Internacionais-Universidade de São Paulo, 2014.128p.

MARIANO, Karina L. Pasquariello; MARIANO, Marcelo Passini. Governos subnacionais e integração regional: considerações teóricas. In: VIGEVANI, Tullo; WANDERLEY, Luiz Eduardo. Governos subnacionais e sociedade civil: integração regional e Mercosul. São Paulo:Editora Unesp, 2005.

MARKS, Gary; HOOGHE, Liesbet. Unraveling the central state, but how? Types of multi-level governance. The American Political Science Review, v 97, n 2, 2003, p.233-243. Disponível em: <http://garymarks.web.unc.edu/files/2016/09/hooghe.marks_.unravelingcentralstate.apsr_.2003.pdf>. Acesso: 12 dez. 2018.

MARTINS, José Ricardo. Institucionalização da inserção paradiplomática de interesses regionais e locais sob a perspectiva da sociologia das relações internacionais: caso do Paraná e Santa Catarina e respectivas capitais. 2017. 267 f. Tese (Doutorado em Sociologia) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

MCMILLAN, Samuel Lucas. Subnational Foreign Policy Actors: how and why governors participate in U.S. Foreign Policy. Foreign Policy Analysis, International Studies Association, V. 4, n.3, 2008,p.227-253. Disponível em: <https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/j.1743-8594.2008.00068.x.> Último acesso: 11 dez. 2018.

MEDEIROS, Marcelo de Almeida; SARAIVA, Miriam Gomes. Os atores subnacionais no Mercosul: o caso das Papeleras. Lua Nova. 2009, n.78, pp.77-108, 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-64452009000300007>. Acesso: 11 dez. 2018.

MEIRINHO, André Furlan. Santa Catarina e os Megaeventos Esportivos: Um Estudo a Partir da Paradiplomacia. 2015. 174 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Planejamento territorial e desenvolvimento socioambiental) – Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis.

MELO, Leonardo Mercher Coutinho Olimpio de. Paradiplomacia cultural nas Organizações Internacionais: Buenos Aires e Rio de Janeiro na CGLU e Mercocidades. 2013. 145 f. Dissertação (Mestrado em Ciência Política) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

_______ Paradiplomacia do Rio de Janeiro: variáveis explicativas à Política Externa de uma cidade. 2016. 304 f. Tese (Doutorado em Ciência Política) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

MENDES, Marcos Vinicius Isaias. A Competitividade internacional das cidades olímpicas: O caso do Rio de Janeiro. 2017. 175 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

MENDES, Marcos Vinícius Isaias; FIGUEIRA, Ariane Roder. Paradiplomacy and the International Competitiveness of Cities: the case of Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Política Internacional, v. 60, n. 1, 2017. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-73292017000100212&script=sci_arttext>. Acesso 15. Ago.2018.

MENEGHETTI NETO, Alfredo. Rede de Cidades: o caso da Rede Mercocidades. 2005. 286f. Tese (Doutorado em História) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

MIKLOS, Manoela Salem. A inserção internacional de unidades subnacionais percebida pelo Estado nacional: a experiência brasileira. 2010. 150f. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais – UNESP, UNICAMP, PUC-SP). Universidade Estadual Paulista, São Paulo.

MILANI, Carlos R. S.; RIBEIRO, Maria Clotilde Meirelles. International Relations and the Paradiplomacy of Brazilian Cities: crafting the concept of Local International Management. Brazilian Administration Review, Curitiba, v. 8, n. 1, 2011.

MILMAN, Oliver. California lawmakers extend program to cut emissions in bipartisan vote. The Guardian, 18 de julho de 2017. Disponível em: <https://www.theguardian.com/us-news/2017/jul/18/california-extend-carbon-emissions-climate-change-program>. Acesso 20 Jan. 2018.

MORAIS, Maria Cezilene Araújo De. Paradiplomacia no Brasil: uma abordagem sobre a inserção internacional de municípios paraibanos a partir do Programa Plano Diretor. 2011. 126 f. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais) - Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande.

NASCIMENTO, Rainne Feitoza do. O Projeto Mato Grosso do Sul sem Fronteiras e a Paradiplomacia Transfronteiriça entre Brasil, Bolívia e Paraguai. 2016. 80f. Dissertação (Mestrado Profissional em Estudos Fronteiriços) – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Corumbá.

NEVES, Leonardo Paz (org.). A inserção internacional do Rio de Janeiro. Centro Brasileiro de Relações Internacionais (CEBRI), v. 3, ano 8, 2013. Disponível em: http://midias.cebri.org/arquivo/InsercaoInternacionalRio.pdf. Acesso 03 maio 2018.

NOSSAL, Kim Richard, ROUSSEL, Stéphane; PAQUIN, Stéphane. The Politics of Canadian Foreign Policy, 4ºed. McGill-Queen's University Press, 2015.

NUNES, Carmem Juçara da Silva. A paradiplomacia no Brasil: o caso do Rio Grande do Sul. 2005. 162f. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais) –Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

OLIVEIRA, Rodrigo Freitas de. Atores Subnacionais: a inserção internacional de Uberlândia-Mg, o maior polo atacadista distribuidor aa América Latina. 2017. 122 f. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia.

PAQUIN, S., and G. LACHAPELLE. Why do substates and regions practice international relations?. In: LACHAPELLE, Guy. PAQUIN, Stéphane. (eds). Mastering Globalization: New sub states' governance and strategies. London: Routledge, 2005, p.77-89.

PEREIRA, Chyara Sales. A redefinição do papel do Estado e a emergência das unidades subnacionais: a paradiplomacia de Minas Gerais. III Congresso Consad de Gestão Pública, 2010. Disponível em: <http://banco.consad.org.br/bitstream/123456789/103/1/C3_TP_A%20REDEFINI%C3%87%C3%83O%20DO%20PAPEL%20DO%20ESTADO%20E%20A%20EMERG%C3%8ANCIA%20DAS%20UNIDADES.pdf>. Acesso: 03 mai. 2018.

________. O processo de internacionalização de Minas Gerais: possibilidades e desafios. In: MARCOVITCH, Jacques; DALLARI, Pedro B.A. (orgs). Relações Internacionais de âmbito subnacional: A experiência de estados e municípios no Brasil. São Paulo: Instituto de Relações Internacionais-Universidade de São Paulo, 2014, p.40-48.

PERPETUO, Rodrigo de Oliveira. A cidade além da nação: a institucionalização do processo de internacionalização de Belo Horizonte. 2010. 147f. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais) - Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte.

PRADO, Débora Figueiredo Barros do. A Atuação internacional dos governos locais via Rede: o caso da Mercocidades e do Programa URB-AL Rede 10. 2009. 241f. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais – UNESP, UNICAMP, PUC-SP) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

___________. Federalismo e Política Internacional: os conflitos entre a União e os governos estaduais nos Estados Unidos. 2013. 322f. Tese (Doutorado em Ciência Política) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

PRADO, Henrique Sartori de Almeida. A paradiplomacia no processo de integração regional - o caso do Mercosul. In: 3° Encontro Nacional da ABRI, 2011, São Paulo. Anais eletrônicos. Disponível em: <http://www.abri.org.br/anais/3_Encontro_Nacional_ABRI/Integracao_Regional/IR%209_Henrique%20Sartori%20A%20PARADIPLOMACIA%20NO%20PROCESSO%20DE%20INTEGRA+%E7+%E2O.pdf>. Acesso: 12 dez. 2018.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS. Diretrizes do Programa de Cooperação Técnica Descentralizada Sul-Sul. Brasília: Programa de Cooperação Técnica Descentralizada Sul-Sul, 2012. 1-7 p. Disponível em: <http://www4.planalto.gov.br/saf-projetos/programa-sul-sul-retificado.pdf>. Acesso em: 20 dez. 2018.

PUBLIC POLICY INSTITUTE OF CALIFORNIA. Immigrants in California, 2018. Disponível em: <https://www.ppic.org/publication/immigrants-in-california/>. Acesso: 25 Ago. 2018.

REIS, Solange. (2017). Saída do acordo de Paris reduz liderança dos Estados Unidos. Observatório Político dos Estados Unidos. OPEU, 27 jun. 2017. Disponível em: <http://www.opeu.org.br/2017/06/27/saida-acordo-de-paris-reduz-lideranca-dos-eua/> . Acesso: 14 abr. 2018.

RIBEIRO, Maria Clotilde Meirelles. Globalização e novos atores: a paradiplomacia das cidades brasileiras. EDUFBA: Salvador, 2009.

RODRIGUES, Gilberto Marcos. Antônio. Política externa federativa: análise de ações internacionais de Estados e Municípios Brasileiros. 2004. 257f. Tese (Doutorado em Ciências Políticas) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

________. Relações internacionais federativas no Brasil. Dados, v. 51, n. 4, 2008, p. 1015-1034.

SADECK, Bruno; FROIO, Liliana Ramalho; MEDEIROS, Marcelo de Almeida. Os governos subnacionais e o Mercosul: um balanço dos 10 anos de funcionamento do FCCR. Revista de Estudos Internacionais, v.9, n.2, 2017, p.139-151.

SALLES, Fernanda Cimini; VIEIRA, Silvia Guiomar. La Capacidad de poder de los gobiernos locales en el campo del desarrollo: un análisis de la posición de Minas a partir de 2003. Apuntes, v41, n.74, p.169-195, 2014.

SALOMÓN, Mónica; NUNES, Carmen. A ação externa dos governos subnacionais no Brasil: os casos do Rio Grande do Sul e de Porto Alegre. Um estudo comparativo de dois tipos de atores mistos. Contexto Internacional, v.29, n.1, 2007, p.99-147.

SANDOVAL, P.X. Califórnia, epicentro da resistência contra Trump. El País, Los Angeles, 16 jan. 2018. Disponível em: <https://brasil.elpais.com/brasil/2018/01/14/internacional/1515956980_382543.html>. Acesso 20 jan. 2018.

SANTOS, Balbina Líbia de Souza. Desenvolvimento da Internacionalização da Universidade Federal de Roraima (2009-2015). 2017. 147f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional da Amazônia) – Universidade Federal de Roraima, Boa Vista.

SARAIVA, José Flavio Sombra. A busca de um novo paradigma: política exterior, comércio externo e federalismo no Brasil. Revista Brasileira de Política Internacional, n.47, vol 2, p. 131-162, 2004.

SCHIAVON, Jorge. La diplomacia local de los gobiernos estatales en Mexico (2000-2010). Centro de Investigación y Docencia Económicas – CIDE. México, n.201, 2010, p.1-37. Disponível em: <http://www.libreriacide.com/librospdf/DTEI-201.pdf>. Acesso: 10 set. 2018.

SEGURA, Caterina García. Sub-State Diplomacy: Catalonia's External Action the Quest for State Sovereignty. International Negotiation, v. 22, n.22, 2017, p.344-373.

SILVA, Marco Antônio Medeiros. A última revolução: o governo Leonel Brizola no Rio Grande do Sul, 1959-1963. 2015. 209f. Tese (Doutorado em História) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

SILVA, Mariana Melo de Barros e. O processo de integração do Mercosul - A Federalização da Política Externa através da atribuição de competência Internacional dos governos subnacionais municipais: Os casos das prefeituras de Santo André (SP) e Ipojuca (PE). 2006. 111 f. Dissertação (Mestrado em Ciência Política) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

SIQUEIRA, João Ricardo Pessoa Xavier. A paradiplomacia como instrumento viabilizador do desenvolvimento local: estudo de caso a partir da atuação internacional do estado de Pernambuco e da cidade do Recife. 2012. 127f. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais) – Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande.

SOLDATOS, Panayotis. An Explanatory Framework for the Study of Federated States as Foreign-policy Actors. In: MICHELMANN, Hans J.; SOLDATOS, Panayotis (org). Federalism and International Relations: the role of subnation units. New York: Oxford University Press, 1990, p.34-53.

SOUZA, Celina. Federalismo, desenho constitucional e instituições federativas no Brasil pós-1988. Revista de Sociologia e Política, n.24, 2005, p.105-121. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-44782005000100008&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso 17 ago 2018.

UNITED NATIONS. Paris Agreement. Paris: United Nations, 2015. 1-27 p. Disponível em: <https://unfccc.int/sites/default/files/english_paris_agreement.pdf>. Acesso em: 20 dez. 2018.

VICUÑA, Ramón Lohmar Sainz. Catalan Paradiplomacy, Secessionism and State Sovereignty: The Effects of the 2006 Statute of Autonomy and the Artur Mas Government on Catalan Paradiplomacy. Tese (Mestrado) – Leiden University, 2015.

VIGEVANI, Tullo. Problemas para a atividade internacional das unidades subnacionais: estados e municípios brasileiros. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 21, n. 62, p. 127-139, 2006 .

________; WANDERLEY, Luiz Eduardo. Governos subnacionais e sociedade civil: integração regional e Mercosul. São Paulo: Editora Unesp, 2005.

________; Gestão pública e inserção internacional das cidades [Relatório Científico de Pesquisa, Vol. 2], São Paulo: CEDEC, PUC-SP, FGV-SP, UNESP, 2007.

VITAL, Graziela Cristina. A Institucionalização das relações externas subnacionais: um estudo comparado das cidades de São Paulo e Toronto. 2016. 231 f. Tese (Doutorado em Relações Internacionais) – Universidade de São Paulo, São Paulo.

WANG, Jiangli; BUZAN, Barry. The English and Chinese Schools of International Relations: Comparisons and Lessons. The Chinese Journal of International Politics, v.7, n.1, 2014, p. 1–46.

YAHN Filho, Armando Gallo. Relações Internacionais e Atores Subnacionais: um estudo da inserção internacional da região metropolitana de Campinas. 2011. 258f. Tese (Doutorado em Ciência Política) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

ZEZINA, Katie. California is a nation not a state: a fringe movement wants a break from the US. Washington Post. São Francisco, 18 fev. 2017. Disponível em: <https://www.washingtonpost.com/politics/california-is-a-nation-not-a-state-a-fringe-movement-wants-a-break-from-the-us/2017/02/18/ed85671c-f567-11e6-8d72-263470bf0401_story.html?utm_term=.5c37ccf5283e>. Acesso 12 abr. 2018.

Publicado
30-12-2018
Como Citar
Prado, D. F. M. (2018). A atuação internacional dos governos subnacionais: construções conceituais, limites e contribuições para o caso brasileiro. Carta Internacional, 13(3). https://doi.org/10.21530/ci.v13n3.2018.846
Seção
Artigos