Instituições para Fomentar a Integração do Setor Elétrico na América do Sul

João Manoel Losada Moreira, Roberto Tadeu Soares Pinto

Resumo


Este trabalho busca identificar e discutir um conjunto de instituições e arenas que possam fomentar a integração do setor elétrico na América do Sul por meio de agentes de mercado. Para operacionalizar a geração e comercialização de eletricidade foram identificadas 4 arenas e 5 organizações para acomodar os diferentes interesses e atividades dos agentes econômicos, stakeholders e agentes dos vários países. O processo poderia iniciar por meio da integração entre o Brasil e países vizinhos e se basear em energias renováveis e sustentáveis para evitar
a exaustão de recursos energéticos. Seriam construídas conexões e linhas de transmissão nas fronteiras e os mercados conectados de ambos os lados da fronteira seriam vistos como extensões dos respectivos sistemas nacionais. A implementação de tal arquitetura institucional requer liderança e envolve custos. O Brasil deveria considerar liderar esse processo e atuar como um paymaster parcial para iniciar relações bilaterais de importação e exportação de eletricidade dos e para os países vizinhos.


Palavras-chave


Integração Sul-Americana; Eletricidade; Mercado; Instituições.

Texto completo:

PDF

Referências


BALAGUER, J. Cross-border integration in the European electricity market. Evidence from the pricing behavior of Norwegian and Swiss exporter. Energy Policy, v. 39, 2011, p. 4703-4712.

CAF. Energia: Uma visión sobre los retos y oportunidades em América Latina y El Caribe – Integracíon Energética – Documento de trabajo – Borrador para discusión y análisis. Corporación Andina de Fomento. Disponível em: http://scioteca.caf.com/handle/123456789/608. Acesso em 20/07/2016.

CARAVALHO, P. N.; GONÇALVES, F. C. N. I. O Brasil como potência regional: uma análise da sua liderança na América do Sul no início do século XXI. Carta Internacional, v. 11, 2016, p. 222-248.

CASTRO, J. N. et al. Integração elétrica internacional do Brasil: Antecedentes, situação atual e perspectivas. Texto de Discussão do Setor Elétrico nº 64. GESEL – Grupo de Estudos do Setor Elétrico – UFRJ, 2015. Disponível em: http://www.gesel.ie.ufrj.br/app/webroot/files/publications/52_TDSE64.pdf. Acesso em 10 de setembro de 2015.

CEIA, E. M.; RIBEIRO, W. G. O Marco jurídico-institucional da integração energética na América do Sul. Texto de Discussão do Setor Elétrico nº 65. GESEL – Grupo de Estudos do Setor Elétrico – UFRJ, 2015, Disponível em: http://www.gesel.ie.ufrj.br/app/webroot/files/publications/50_tdse65.pdf. Acesso em 10 de novembro de 2015.

CEPAL. Integración eléctrica em América Latina: antecedentes, realidades y caminhos por recorrer. Coordinator Beno Ruchanski, 2013, Comissión Económica para América latina y Caribe. Disponível em: http://www.cepal.org/pt-br/node/20658. Acesso em 30 de março de 2016.

CIER. Síntesis Informativa Energética de los Países de la CIER. Comisión de Integración Energética. Disponível em: http://www.cier.org.uy/d06-sie/index.htm. Acesso em 26 de outubro de 2016.

DESIDERÁ NETO, W. A.; MARIANO, M. P.; PADULA, R.; HALLACK, M. C. M.; BARROS, P. S. Relações do Brasil com a América do Sul após a Guerra fria: política externa, integração, segurança e energia. In DESIDERÁ NETO, W. A. O Brasil e novas dimensões da integração regional, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, IPEA, 2014.

EIA. US Energy Information Administration. Disponível em: http://www.eia. gov/cfapps/ipdbproject/IEDIndex3.cfm?tid=2&pid=2&aid=7 (2016). Acesso em 20/02/2016.

FIESP. A Regulação do Comércio Internacional de Energia – Combustíveis e Energia Elétrica. Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. Disponível em: http://www.fiesp.com.br/indices-pesquisas-e-publicacoes/a-regulacao-do-comercio-internacional-de-energia/. Acesso em 15/10/2015.

HALLACK, M. C. M. A integração da indústria de gás natural na América do Sul: desafios institucionais no desenvolvimento de infraestruturas de conexão. In DESIDERÁ NETO, W. A. O Brasil e novas dimensões da integração regional. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, IPEA, 2014.

KAS. Integração Energética Regional: Desafios Geopolíticos e Climáticos. Organizadores: Fundação Konrad Adenauer. Programa Regional Segurança energética e Mudanças Climática na América Latina. Fundação Konrad Adenauer e Centro Brasileiro de Relações Internacionais – CEBRI. Disponível em: http://www.kas.de/energie-klima-lateinamerika/pt/publications/43761/. Acesso em 30 de novembro de 2016.

GONÇALVES A. O Conceito de governança. Disponível em: http://www.conpedi. org.br/manaus/arquivos/Anais/Alcindo%20Goncalves.pdf. Acesso em 10/03/ 2016.

HERZ, M.; HOFFMANN, A. R.; TABAK, J. Organizações internacionais: história e práticas. Rio de Janeiro, RJ: Elsevier Editora, 2015.

JACOMO, J.C.P. A Geopolítica da Energia no Processo de Integração Energética Latino-Americana: Situação Atual e Perspectivas. In: VIII CBPE – Congresso Brasileiro de Planejamento Energético, 12 a 15 de agosto de 2012. Curitiba, PR. Disponível em http://sbpe.org.br/viii-cbpe/. Acesso em 25/08/2017.

MARIANO, M. P. O papel do Brasil na ‘integração da infraestrutura da América do Sul: limites institucionais e possibilidades de mudança. In DESIDERÁ NETO, W. A. O Brasil e novas dimensões da integração regional, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, IPEA, 2014.

MAYO, R. Mercados de eletricidade. Rio de Janeiro: Synergia, 2012.

MOREIRA, J. M. L., CESARETTI, M. A., CARAJILESCOV, P., MAIORINO, J. R. Sustainability deterioration of electricity generation in Brazil. Energy Policy, v. 87, 2015, p. 334-346.

MOREIRA, J. M. L.; PINTO, R. T. S. Integração energética ou integração de mercados. Qual é a melhor solução para a comercialização de energia elétrica? In: 4th ELAEE 2013, Latin American Meeting on Energy Economics. Abril 8-9, 2013. Montevideo, Uruguay.

NAKAGAWA, L.; FAVARETO, A. S. Governança e mercados na elaboração de políticas socioambientais em iniciativas multi-stakeholder: a emergência da governança não estatal. In: VI Encontro Nacional da ANPPAS, 18 a 21 de setembro de 2012, Belém, PA.

ONS. Mapa do sistema interligado nacional (SIN) do Brasil. Operador Nacional do Sistema Elétrico. Disponível em http://www.ons.org.br/conheca_sistema /mapas_sin.aspx. Acesso em 26/12/2016.

ONS. Acompanhamento mensal dos intercâmbios internacionais – janeiro de 2016. Relatório RE 4/008/2012. Disponível em http://www.ons.org.br/download/ resultados_operacao/acompanhamento_mensal_intercambios_internacionais/relatorio_intercambio_internacional_201201.pdf. Acesso em 18/01/2016a.

PADULA, R. Da IIRSA ao Cosiplan: a integração da infraestrutura na América do Sul nos anos 2000e suas perspectivas de mudança. In DESIDERÁ NETO, W.A. O Brasil e novas dimensões da integração regional, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, IPEA, 2014.

PINTO, R. T. S. Integração dos mercados de eletricidade da América do Sul por meio da comercialização de energia elétrica. Dissertação de Mestrado. Santo André, SP: Universidade Federal do ABC, 2017.

POLLITT, G. M.; MUSILIU, O. O. The promotion of regional integration of electricity markets: Lessons for developing countries. Energy Policy, v. 88, 2016, p. 628-638.

PSR. Latin American Energy Integration - Opportunities and challenges, APEX. 2011. Disponível em http://www.apex2011conference.com, 2012. Acesso em 30/07/2015.

SARAIVA, M. G. Novas abordagens pra análise dos processos de integração na América do Sul: o caso brasileiro. Carta Internacional, v. 8, 2013, p. 3-21.

SCHERMA, M. A. Rumo à cooperação e ao desenvolvimento: as políticas brasileiras para a faixa de fronteira. Carta Internacional, v. 11, 2016, p. 32-55.

SOARES, R. T.; MOREIRA, J. M. L. A questão do modelo de integração energética da América do Sul – foco na comercialização de energia elétrica. In: VIII Congresso Brasileiro de Planejamento Energético, 12-15 de agosto de 2012. Curitiba, PR. Disponível em http://sbpe.org.br/viii-cbpe/. Acesso em 25/08/2017.

SPEKTOR, M. Ideias de ativismo regional: a transformação das leituras brasileiras da região. Revista Brasileira de Política Internacional, v. 53, 2010, p. 24-44.

TEIXEIRA, C. G. P. Uma política para o continente – reinterpretando a Doutrina Monroe. Revista Brasileira de Política Internacional, v. 57, 2014, p. 115-132.




DOI: https://doi.org/10.21530/ci.v13n1.2018.717

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia