Temas de Relações Internacionais nos discursos de posse de presidentes e de chanceleres brasileiros (1995-2017)

Felipe Ferreira de Oliveira Rocha

Resumo


O artigo investiga as ênfases temáticas de presidentes e de chanceleres brasileiros durante os seus pronunciamentos de posse. O objetivo principal é saber se tais atores políticos tenderam a manter um padrão de continuidade no que tange à priorização de temas e categorias ou se os mesmos tendem a minimizar e maximizar citações de forma específica e particular. Para verificar isso, técnicas de análise de conteúdo e de mineração textual foram empregadas. Através delas, constatou-se a existência de uma continuidade, no sentido de que há categorias que são constantes na sua insignificância, independente do ator. Há também categorias que, via de regra, são mencionadas repetidamente em todos os pronunciamentos. Ademais, ao considerar medidas associativas e de distâncias de palavras, foi possível agrupar os atores em níveis de proximidade. Nesse aspecto, é visível um agrupamento muito coeso entre os chanceleres, ao passo que os presidentes tendem a se localizar de forma mais esparsa. 


Palavras-chave


Agenda de Políticas; Diplomacia Presidencial; Ministro de Relações Exteriores, Política Externa Brasileira; Análise de Conteúdo

Texto completo:

PDF

Referências


BARNABÉ, Israel Roberto. O Itamaraty e a Diplomacia Presidencial nos Governos FHC e Lula. Revista de Estudos Internacionais (REI), v. 1, n. 2, 2010, p. 29–45. Disponível em: http://www.revistadeestudosinternacionais.com/uepb/index.php/rei/article/view/22/pdf. Acesso em: 31, ago. 2017.

BATISTA, David do Nascimento. Habitus diplomático: um estudo do Itamaraty em tempos de regime militar (1964-1985). 2010. 218 f. Tese (Doutorado) - Curso de Sociologia, Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010. Disponível em: http://www.repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9199. Acesso em: 30, ago. 2017.

BATISTA, Mariana; VIEIRA, Bhreno. Mensurando Saliência: Uma Medida com Base em Ênfases na Agenda Legislativa do Brasil (1995-2014). In: 10 Encontro da Associação Brasileira de Ciência Política, 2016, Belo Horizonte. Anais Eletrônicos. Disponível em: https://cienciapolitica.org.br/system/files/documentos/eventos/2017/04/mensurando-saliencia-medida-com-base-enfases-agenda.pdf. Acesso em:31, ago. 2017.

BAUMGARTNER, Frank R et al. Lobbying and Policy Change: Who Wins, Who Loses and Why. Chicago: The University Of Chicago Press, 2009.

BERSCH, Katherine; PRAÇA, Sérgio; TAYLOR, Matthew M. State Capacity, Bureaucratic Politicization, and Corruption in the Brazilian State. Governance, v. 30, n. 1, 2017, p. 105–124. Disponível em: 10.1111/gove.12196. Acesso em: 30, ago. 2017.

BEVAN, Shaun. General Comparative Agendas Project Coding Guidelines. Comparative Agendas Project, 2015. Disponível em: http://sbevan.com/cap-master-codebook.html. Acesso em: 31 Ago. 2017.

BRASIL. Constituição Federal: Promulgada em 5 de Outubro de 1988. Porto Alegre: Verbo Jurídico, 2003.

BURGES, Sean W; BASTOS, Fabrício H. Chagas. The Importance of Presidential Leadership for Brazilian Foreign Policy. Policy Studies, v. 38, n. 3, 2017, p. 277–290. Disponível em: https://doi.org/10.1080/01442872.2017.1290228. Acesso em: 30, ago. 2017

BURGES, Sean W. Desafio para o Itamaraty. Política Externa, v. 22, n. 4, 2014, p. 1–11. Disponível em: http://politicaexterna.com.br/2395/desafio-para-o-itamaraty/. Acesso em: 30, ago. 2017.

BURGES, Sean W. Seria o Itamaraty um Problema para a Política Externa Brasileira?. Política Externa, v. 21, n. 3, 2013, p. 133–148. Disponível em: http://politicaexterna.com.br/190/133-seria-itamaraty-problema-politica-externa-brasileira/. Acesso em: 31, ago. 2017.

BURGES, Sean W. The Possibilities and Perils of Presidential Diplomacy: Lessons from the Lula years in Brazil. In: ROLLAND, Dennis; LESSA, Antonio Carlos. Relations Internationales du Brésil: Les Chemins de la Puissance. Paris: L’Harmattan, 2010. Cap. 1, p. 1–11.

CASON, Jeffrey W; POWER, Timothy J. Presidentialization, Pluralization, and the Rollback of Itamaraty: Explaining Change in Brazilian Foreign Policy Making in the Cardoso-Lula era. International Political Science Review, v. 30, n. 2, 2009, p. 117–140. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/25652895. Acesso em: 31, ago. 2017.

CHEIBUB, Zairo B. A Carreira Diplomática no Brasil: O Processo de Burocratização no Itamarati. Revista de Administração Pública, v. 23, n. 2, 1989, p. 97–128. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/9157/8261. Acesso em: 31, ago. 2017.

DANESE, Sérgio. A Escola da Liderança: Ensaios sobre a Política Externa e a Inserção Internacional do Brasil. Rio de Janeiro: Editora Record, 2009.

DINIZ, Simone; RIBEIRO, Cláudio Oliveira. The role of the Brazilian congress in Foreign Policy. Brazilian Political Science Review, v. 2, n. 2, 2008, p. 10–38. Disponível em: http://www.bpsr.org.br/index.php/bpsr/article/view/32. Acesso em 30, ago. 2017.

DINIZ FILHO, Paulo Ricardo. Insulamento ou Isolamento? A articulação do Ministério das Relações Exteriores no âmbito do Governo Federal (2000-2011). Conjuntura Austral, v. 4, n. 15, 2013, p. 70–85. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/ConjunturaAustral/article/view/26870. Acesso em 31, ago. 2017.

DYE, Thomas R. Mapeamento dos Modelos de Análise de Políticas Públicas. In: HEIDEMANN, F. G; SALM, J. F. Políticas Públicas e Desenvolvimento: Bases Epistemológicas e Modelos de Análise. Brasília: UnB, 2010. Cap. 3, pp. 98–129.

FARIA, Carlos Aurélio Pimenta de. O Itamaraty e a Política Externa Brasileira: Do Insulamento à Busca de Coordenação dos Atores Governamentais e de Cooperação com os Agentes. Revista Brasileira de Política Internacional, v. 34, n. 1, 2012, p. 311–355. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-85292012000100009. Acesso em: 30, ago. 2017.

FARIA, Carlos Aurélio Pimenta de; LOPES, Dawisson Belém; CASARÕES, Guilherme. . Itamaraty on the Move: Institutional and Political Change in Brazilian Foreign Service under Lula da Silva’s Presidency (2003–2010). Bulletin of Latin American Research, v. 32, n. 4, 2013, p. 468-482. DOI: 10.1111/blar.12067. Acesso em: 31, ago. 2017.

FARIAS, Rogério de Souza; RAMANZINI JÚNIOR, Haroldo. Revisando a Horizontalização: O Desafio da Análise da Política Externa Brasileira. Revista Brasileira de Política Internacional, v. 58, n. 2, 2015, p. 5-22. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7329201500201. Acesso em: 30, ago. 2017.

FENWICK, Tracy B; BURGES, Sean W; POWER, Timothy J. Five Faces of Presidential Governance: Insights from Policy-Making in Democratic Brazil. Policy Studies, v. 38, n. 3, 2017, p. 205–215. Disponível em: https://doi.org/10.1080/01442872.2017.1290232. Acesso em: 31, ago. 2017.

FIGUEIRA, Ariane Roder. Introdução à Análise de Política Externa. São Paulo: Saraiva, 2011.

FIGUEIRA, Ariane Roder. Um Debate acerca do Padrão Decisório em Política Externa no Brasil. Carta Internacional, v. 5, n. 1, 2010, p. 38–52. Disponível em: https://www.cartainternacional.abri.org.br/Carta/article/view/528. Acesso em: 31, ago. 2017.

FIGUEIRA, Ariane Roder. Processo Decisório em Política Externa no Brasil. 2009. 255 f. Tese (Doutorado) - Curso de Ciência Política, Departamento de Ciência Política, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

HOUGHTON, David. 2007. ‘Reinvigorating the Study of Foreign Policy Decision Making: Toward a Constructivist Approach’. Foreign Policy Analysis, v. 3, n., 2007, p. 24–45. Disponível em: 10.1111/j.1743-8594.2007.00040.x. Acesso em: 31, ago. 2017.

LOPES, Dawisson Belém. A Política Externa Brasileira e a “Circunstância Democrática”: Do Silêncio Respeitoso à Politização Ruidosa. Revista Brasileira de Política Internacional, v. 54, n. 1, 2011, p. 67–86. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-73292011000100005. Acesso em: 30, ago. 2017.

LOPES, Dawisson Belém; FARIA, Carlos Aurélio Pimenta de. Eleições Presidenciais e Política Externa Brasileira. Estudos Internacionais, v. 2, n. 2, 2014, p. 139–148. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/article/view/9751. Acesso em: 31, ago. 2017.

MILANI, Carlos; PINHEIRO, Leticia. Política Externa Brasileira: Os Desafios de sua Caracterização como Política Pública. Contexto Internacional, v. 35, n. 1, 2013, p. 11–41. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-85292013000100001. Acesso em: 30, ago. 2017.

MIYAMOTO, Shiguenoli. As Grandes Linhas da Política Externa Brasileira. Brasília, DF: CEPAL Escritório no Brasil/IPEA, 2011.

MOURA, Cristina Patriota de. O Inglês, o Parentesco e o Elitismo na Casa de Rio Branco. Cena Internacional, v. 8, n. 1, 2006, p. 20–34. Disponível em: http://132.248.9.34/hevila/CENAInternacional/2006/vol8/no1/2.pdf. Acesso em: 31, ago. 2017.

NETO, Octavio A. De Dutra a Lula: A Condução e os Determinantes da Política Externa Brasileira. Rio de Janeiro: Campus Elsevier, 2011.

NEUENDORF, Kimberley A. The Content Analysis Guidebook. London: SAGE, 2002.

ONUKI, Janina; OLIVEIRA, Amâncio Jorge de. Eleições, Política Externa e Integração Regional. Revista de Sociologia e Política, v. 27, n., 2006, p. 145–155. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsocp/n27/10.pdf. Acesso em 31, ago. 2017.

PRETO, Alessandra Falcão. O Conceito de Diplomacia Presidencial: O Papel da Presidência da República na Formulação de Política Externa. 2006. 101 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Ciência Política, Departamento de Ciência Política, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

PUTNAM, Robert D. Diplomacy and Domestic Politics: The Logic of Two-level Games. International Organization, v. 42, n. 3, 1988, p. 427–460. Disponível em: http://www.jstor.org/stable/2706785. Acesso em: 31, ago. 2017.

SATO, Eiiti. A Diplomacia Presidencial Brasileira e as Trasformações em Curso nas Relações Internacionais. In: PEIXOTO, João Paulo M. Presidencialismo no Brasil: História, Organização e Funcionamento. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2015, Cap. 7, p. 255-293.

SOUZA, Celina. Políticas Públicas: Uma Revisão da Literatura. Political Science, v. 8, n. 16, 2006, p. 20–45. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1517-45222006000200003. Acesso em: 31, ago. 2017.

TRUE, James L; JONES, Bryan D; BAUMGARTNER, Frank R. Punctuated-equilibrium theory: Explaining Stability and Change in Public Policymaking. In: SABATIER, Paul. Theories of the Policy Process. Boulder, CO: Westview Press, 2006. Cap. 3, p. 59-105.

WALT, Stephen M. Alliance Formation and the Balance of World Power. International Security, v. 9, n. 4, 1985, p. 3-43. Disponível em: http://www.jstor.org/stable/2538540. Acesso em: 31, ago. 2017.

WEBER, Robert P. Basic Content Analysis. London: Sage University Press, 1990.




DOI: https://doi.org/10.21530/ci.v12n3.2017.707

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia