A evolução dos métodos de trabalho e a emergência do consenso no Conselho de Segurança da ONU: a tomada de decisão por comitês

Mariana Baccarini

Resumo


A dificuldade de se reformar formalmente o Conselho de Segurança das Nações Unidas não impediu que ocorresse no órgão uma reforma informal de seu processo decisório, envolvendo seus métodos de trabalho. A busca por maior participação, accountability e transparência nos trabalhos da principal organização internacional, responsável pela paz e segurança internacionais, é objetivo não somente de Estados não membros do órgão como também de seus membros não permanentes, que questionam incessantemente a dominância dos membros permanentes no processo de tomada de decisão. O objetivo deste artigo é discutir como, com o fim da Guerra Fria, o padrão de votação do Conselho de Segurança sofreu alterações substantivas, de um processo conflituoso para um outro, em alguma medida, cooperativo, resultante da evolução dos métodos de trabalho e, em especial, da proliferação dos comitês de decisão. Com isso, vemos emergir um padrão consensual de decisão em que, na grande maioria das votações, os quinze membros votam afirmativamente para a aprovação das resoluções.  


Palavras-chave


Conselho de Segurança das Nações Unidas; consenso decisório; comitês de decisão

Texto completo:

PDF

Referências


ASSEMBLEIA GERAL DAS NAÇÕES UNIDAS. A/56/47, 2002. Disponível em < https://documents-dds-ny.un.org/doc/UNDOC/GEN/N02/438/32/pdf/N0243832.pdf?OpenElement> . Acessado em 07 de fevereiro de 2017.

ASSEMBLEIA GERAL DAS NAÇÕES UNIDAS. A/58/47, 2004. Disponível em < https://documents-dds-ny.un.org/doc/UNDOC/GEN/N04/417/02/pdf/N0441702.pdf?OpenElement> . Acessado em 07 de fevereiro de 2017.

ASSEMBLEIA GERAL DAS NAÇÕES UNIDAS. A/61/47 (SUPP), 2007.

Disponível em < https://documents-dds-ny.un.org/doc/UNDOC/GEN/N07/509/21/pdf/N0750921.pdf?OpenElement> . Acesso em 09 de fevereiro de 2017.

ASSEMBLEIA GERAL DAS NAÇÕES UNIDAS. A/62/ 47 (SUPP), 2008.

Disponível em < https://documents-dds-ny.un.org/doc/UNDOC/GEN/N08/524/30/pdf/N0852430.pdf?OpenElement>. Acesso em 09 de fevereiro de 2017.

ASSEMBLEIA GERAL DAS NAÇÕES UNIDAS. A/63/ 47 (SUPP), 2009.

Disponível em < https://documents-dds-ny.un.org/doc/UNDOC/GEN/N09/508/11/pdf/N0950811.pdf?OpenElement>. Acessado em 09 de fevereiro de 2017.

BACCARINI, M. P. O. A reforma do Conselho de Segurança das Nações Unidas: uma questão institucional. 2014. Tese de Doutorado. Universidade Federal de Minas Gerais, Minas Gerais, 2014. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/handle/1843/BUOS-9LNHCP/mariana_baccarini__tese_vers_o_final.pdf?sequence=1. Acessado em 05 de junho de 2017.

BUZAN, Barry. Negotiating by Consensus: Developments in Technique at the United Nations Conference on the Law of the Sea. American Journal of International Law, vol.75, n.2, 1981, p. 324-348. Disponível em: . Acesso em 07 de fevereiro de 2017.

CONSELHO DE SEGURANÇA DAS NAÇÕES UNIDAS. S/ PRST/1994/22, 1994a. Disponível em . Acessado em 07 de fevereiro de 2017.

CONSELHO DE SEGURANÇA DAS NAÇÕES UNIDAS. S/ PRST/1994/62, 1994b. Disponível em . Acessado em 07 de fevereiro de 2017.

CONSELHO DE SEGURANÇA DAS NAÇÕES UNIDAS. S/ PRST/1996/13, 1996. Disponível em < https://documents-dds-ny.un.org/doc/UNDOC/GEN/N96/075/24/pdf/N9607524.pdf?OpenElement>. Acessado em 07 de fevereiro de 2017.

CONSELHO DE SEGURANÇA DAS NAÇÕES UNIDAS. S/1998/1016, 1998. Disponível em < https://documents-dds-ny.un.org/doc/UNDOC/GEN/N98/331/07/pdf/N9833107.pdf?OpenElement>. Acessado em 07 de fevereiro de 2017.

CONSELHO DE SEGURANÇA DAS NAÇÕES UNIDAS. S/1999.165, 1999. Disponível em < https://documents-dds-ny.un.org/doc/UNDOC/GEN/N99/041/85/pdf/N9904185.pdf?OpenElement>. Acessado em 07 de fevereiro de 2017.

CONSELHO DE SEGURANÇA DAS NAÇÕES UNIDAS. S/2000/670, 2000. Disponível em < https://documents-dds-ny.un.org/doc/UNDOC/GEN/N00/584/18/pdf/N0058418.pdf?OpenElement>. Acessado em 07 de fevereiro de 2017.

CONSELHO DE SEGURANÇA DAS NAÇÕES UNIDAS. S/2006/507, 2006. Disponível em < https://documents-dds-ny.un.org/doc/UNDOC/GEN/N06/435/44/pdf/N0643544.pdf?OpenElement>. Acessado em 07 de fevereiro de 2017.

CONSELHO DE SEGURANÇA DAS NAÇÕES UNIDAS. S/2010/507, 2010. Disponível em < https://documents-dds-ny.un.org/doc/UNDOC/GEN/N10/464/16/pdf/N1046416.pdf?OpenElement> . Acessado em 07 de fevereiro de 2017.

CONSELHO DE SEGURANÇA DAS NAÇÕES UNIDAS. S/2012/922, 2012. Disponível em < https://documents-dds-ny.un.org/doc/UNDOC/GEN/N12/647/60/pdf/N1264760.pdf?OpenElement> . Acessado em 07 de fevereiro de 2017.

CONSELHO DE SEGURANÇA DAS NAÇÕES UNIDAS. S/2013/142, 2013a.

Disponível em < https://documents-dds-ny.un.org/doc/UNDOC/GEN/N13/254/99/pdf/N1325499.pdf?OpenElement> . Acessado em 07 de fevereiro de 2017.

CONSELHO DE SEGURANÇA DAS NAÇÕES UNIDAS. S/2013/152, 2013b.

Disponível em < https://documents-dds-ny.un.org/doc/UNDOC/GEN/N13/257/48/pdf/N1325748.pdf?OpenElement> . Acessado em 07 de fevereiro de 2017.

CONSELHO DE SEGURANÇA DAS NAÇÕES UNIDAS. S/2016/170, 2016.

Disponível em < https://documents-dds-ny.un.org/doc/UNDOC/GEN/N16/046/21/pdf/N1604621.pdf?OpenElement> . Acessado em 07 de fevereiro de 2017.

CONSELHO DE SEGURANA DAS NAÇÕES UNIDAS. Meeting Records, 2017. Disponível em < http://www.un.org/en/sc/meetings/records/2017.shtml>.

DINIZ, E.; BACCARINI, M. UN Security Council Decision-Making: Testing the Bribery Hypothesis. Revista Brasileira de Política Internacional, vol.57, n.2, 2014, p. 29-57. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbpi/v57n2/0034-7329-rbpi-57-02-00029.pdf. Acessado em 02 de junho de 2017.

DREHER, A; STURM, J; VREELAND, J. Global horse trading: IMF loans for votes in the United Nations Security Council. European Economic Review, vol. 7, n.57, 2009a, p. 742-757. Disponível em . Acessado em 07 de fevereiro de 2017.

DREHER, A; STURM, J; VREELAND, J. Development aid and international politics: Does membership on the UN Security Council influence World Bank decisions?. Journal of Development Economics, n.88, 2009b, p. 1-18,. Disponível em < https://www.researchgate.net/publication/222814643_Development_Aid_and_International_Politics_Does_Membership_on_the_UN_Security_Council_Influence_World_Bank_Decisions>. Acessado em 09 de fevereiro de 2017.

EASTON, D. An Approach to the Analysis of Political Systems. World Politics, vol. 9, n. 3., 1957, p.383-400. Disponível em < http://online.sfsu.edu/sguo/Renmin/June2_system/Political%20System_Easton.pdf>. Acessado em 18 de setembro de 2017.

HOSLI, M. O., et al. Squaring the Circle? Collective and Distributive Effects of United Nations Security Council Reform. In: 52nd Annual Convention of the International Studies Association, 2011, Montreal. Anais Eletrônicos.

HURD, Ian. Security Council Reform: Informal Membership and Practice. In. RUSSETT, Bruce, The Once and Future Security Concil. 1. Ed. New York: St. Martin’s Press, 1997, Cap. 7.

KUZIEMKO, I.; WERKER, E. How Much is a Seat on the Security Council Worth? Foreign Aid and Bribery at the United Nations. Journal of Political Economy, v. 114, n. 5, 2006, p. 905-930. Disponível em http://scholar.princeton.edu/sites/default/files/kuziemko/files/kuziemko_werker.pdf. Acessado em 02 de junho de 2017.

LUCK, Edward C. UN Security Council: Practice and Promise. Nova York:

Routledge, 2006.

MARTIN, Lisa; SIMMONS, Beth. Theories and Empirical Studies of International Institutions., International Organization, vol. 4, n. 52, 1998, p. 729-757. Disponível em < https://dash.harvard.edu/bitstream/handle/1/3382862/Theories_Empirical.pdf?sequence=2>. Acessado em 09 de fevereiro de 2017.

MENDES, Flávio Pedroso. O Brasil e a reforma do Conselho de Segurança: Uma análise realista. Contexto Internacional, Rio de Janeiro, vol. 37, no 1, janeiro/abril, 2015, p.113-142. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-85292015000100113. Acessado em 05 de junho de 2017.

O’NEILL, B. Power and Satisfaction in the United Nations Security Council. Journal of Conflict Resolution, vol.2, n. 40, 1996, p. 219-237. Disponível em < https://www.jstor.org/stable/174351>. Acessado em 07 de fevereiro de 2017.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. UNSecurity Council Voting Records, 2013. Recuperado em 10 de Julho de 2013, do site: http://unbisnet.un.org:8080/ipac20/ipac.jsp?profile=voting&menu=search&submenu=power#focus.

PRANTL J. The UN Security Council and Informal Groups of States: Complementing or Competing for Governance? (1.Ed). New York, NY, EUA: Oxford University Press, 2006.

RITTBERGER, Volker; ZANGL, Bernhard; STAISCH, Matthias. International Organizations: polity, politics and policies. Palgrave: Macmillan, 2006.

SARTORI, Giovanni. A Teoria da Democracia Revisitada: o debate contemporâneo. São Paulo: Ed. Ática, 1994.

SECURITY COUNCIL REPORT. Monthly Forecast: In Hindsight: The Security Council Penholders, 2016. Acessado em 06 de fevereiro de 2017. Disponível em :

SECURITY COUNCIL REPORT. Special Research Report. Security Council transparency, legitimacy and effectiveness: Efforts to Reform Council Working Methods 1993-2007, n. 3, 2007. Disponível em < http://www.securitycouncilreport.org/special-research-report/lookup-c-glKWLeMTIsG-b-3506555.php>. Acesso em 07 de fevereiro de 2017.

SECURITY COUNCIL REPORT. Update Report: Security Council Working Methods, n. 1, 2008. Disponível em < http://www.securitycouncilreport.org/update-report/lookup-c-glKWLeMTIsG-b-4420143.php> . Acessado em 07 de fevereiro de 2017.

SECURITY COUNCIL REPORT. Special Research Report. Security Council Working Methods- a work in progress, n. 1, 2010. Disponível em < http://www.securitycouncilreport.org/special-research-report/lookup-c-glKWLeMTIsG-b-5906427.php>. Acessado em 07 de fevereiro de 2017.

SECURITY COUNCIL REPORT. Special Research Report. Security Council Working Methods: a tale of two councils?, n. 1, 2014. Disponível em < http://www.securitycouncilreport.org/special-research-report/security-council-working-methods-a-tale-of-two-councils.php>. Acessado em 07 de fevereiro de 2017.

SECURITY COUNCIL REPORT. 2017 Chairs of Subsidiary Bodies and Penholders, 2017. Disponível em http://www.securitycouncilreport.org/un-security-council-working-methods/atf/cf/%7B65BFCF9B-6D27-4E9C-8CD3-CF6E4FF96FF9%7D/Penholders%20and%20Subsidiary%20Body%20Chairs.pdf. Acessado em 23 de agosto de 2017.

WEISS, T.G. The Illusion of UN Security Council Reform. The Washington Quaterly, vol.4, n.26, 2003, p. 147-161




DOI: http://dx.doi.org/10.21530/ci.v12n2.2017.628

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia