A participação dos países em desenvolvimento e menos desenvolvidos no Órgão de Solução de Controvérsias da Organização Mundial do Comércio

  • Andréa Freire de Lucena Universidade Federal de Goiás (UFG)
  • Samuel Rufino de Carvalho Universidade Federal de Goiás

Resumo

O Órgão de Solução de Controvérsias da Organização Mundial do Comércio almeja solucionar as disputas comerciais dos países, por meio da supervisão, do monitoramento e da averiguação do cumprimento de suas regras. Um dos entraves do sistema diz respeito às dessemelhanças entre países desenvolvidos e em desenvolvimento. Este artigo investiga a existência de assimetrias de participação entre os países menos desenvolvidos (PMD), países em desenvolvimento (PED) e países desenvolvidos (PD) no âmbito do Órgão de Solução de Controvérsias, desde a sua criação em 1995 até o ano de 2016. Os dados coletados foram trabalhados pelo uso dos métodos estatístico e comparativo, com a intenção de se obter uma análise minuciosa acerca das disputas comerciais e verificar os níveis de desigualdade de atuação na instituição. Observou-se que o Órgão possui assimetrias evidentes de participação, que refletem a divisão internacional do trabalho presente no sistema internacional, em que os Estados de maiores rendas atuam mais facilmente com vistas a suprir suas demandas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andréa Freire de Lucena, Universidade Federal de Goiás (UFG)
Professora e pesquisadora da graduação em Ciências Econômicas e do mestrado em Ciência Política da Universidade Federal de Goiás.   
Samuel Rufino de Carvalho, Universidade Federal de Goiás
 

Referências

AGUIAR, L. A. Tratamento diferenciado dos países em desenvolvimento no Órgão de Solução de Controvérsias da Organização Mundial do Comércio. 2014. 177 f. Monografia (Graduação em Direito) – Faculdade de Direito, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014.

ALVES. A. R. C. O conceito de hegemonia: de Gramsci a Laclau e Mouffe. Lua Nova, São Paulo, n. 80, p. 71-96, 2010.

ÁRABE NETO, A. M.; LOPES, J. S. Atuação dos BICS no Órgão de Solução de Controvérsia da OMC. In: Thorstensen, V.; Oliveira, I. T. M. (orgs.). Os BRICS na OMC: Políticas Comerciais Comparadas de Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Brasília: Ipea, 2012. p. 331-397.

AZEVÊDO, R. A OMC aos 20 anos. Meridiano 47, Brasília, n. 150, p. 10-13, jul/ago, 2015.

GUIMARÃES, F. S. O fim do tratamento diferenciado e a adoção da regra de reciprocidade para países em desenvolvimento na Rodada Uruguai da OMC. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, n. 27, p. 77-105, nov. 2006.

HASENCLEVER, A.; MAYER, P.; RITTBERGER, V. Theories of international regimes. Cambridge: Cambridge University Press, 1997.

KEOHANE, R. O. After Hegemony: Cooperation and Discord in the World Political Economy. New Jersey: Princeton University Press, 1984.

KEOHANE, R. O; NYE, J. S. Power and Interdependence revisited. International Organization, Cambridge, v. 41, n. 4, p. 725-753, 1987.

KRASNER, S. D. Causas estruturais e consequências dos Regimes Internacionais: Regimes como variáveis intervenientes. Tradução de Dalton Guimarães, Feliciano Guimarães e Gustavo Biscaia de Lacerda. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, v. 20, n. 42, p. 93-110, jun./2012.

LOPES, I. Órgão de Solução de Controvérsias da OMC: acesso aos países em desenvolvimento? Revista de Direito da Universidade de Brasília, Brasília, v. 1, n. 1, p. 33-66, jul./dez. 2014.

LUCENA, A. F. Teorias de Regimes Internacionais. In: ______. (org.). Regimes Internacionais: temas contemporâneos. Curitiba: Juruá, 2012. p. 33-57.

MORGENTHAU, Hans J. A política entre as nações: a luta pela guerra e pela paz. Brasília: Editora Universidade de Brasília/ Instituto de Pesquisa de Relações Internacionais; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2003.

STRANGE, S. States and Markets. New York: Pinter Publisher, 1994.

UNITED NATIONS (UN). World Economic Situation and Prospects. New York: UN, 2015.

WORLD TRADE ORGANIZATION (WTO). Disputes by country/territory. 2017a. Disponível em: <https://www.wto.org/english/tratop_e/dispu_e/dispu_by_country_e.htm>. Acesso em: jun. 2017.

______. General Agreement on Tariffs and Trade 1994. 2017b. Disponível em: <https://www.wto.org/english/res_e/booksp_e/analytic_index_e/gatt1994_01_e.htm#article1C3aiv>. Acesso em: jul. 2017.

______. Understanding the WTO. 2017c. Disponível em: <https://www.wto.org/english/thewto_e/whatis_e/tif_e/understanding_e.pdf>. Acesso em: jul. 2017.

______. World Trade Report. 2017d. Disponível em: <https://www.wto.org/english/res_e/booksp_e/world_trade_report15_e.pdf>. Acesso em: maio 2017.

YOUNG, O. R. International Cooperation: building regimes for natural resources and the environment. New York: Cornell University, 1989

Publicado
05-10-2018
Como Citar
de Lucena, A. F., & de Carvalho, S. R. (2018). A participação dos países em desenvolvimento e menos desenvolvidos no Órgão de Solução de Controvérsias da Organização Mundial do Comércio. Carta Internacional, 13(2). https://doi.org/10.21530/ci.v13n2.2018.760
Seção
Artigos